Cookieless: saiba quais os impactos no marketing digital

Cookieless: saiba quais os impactos no marketing digital

A internet tem dado passos largos e acelerados na evolução digital. As maiores provas disso são a consolidação de aplicações da inteligência artificial, a guinada no processo de transformação digital por causa da pandemia e a nova fase cookieless. Essa última, em especial, exigirá de quem atua no marketing uma nova forma de trabalho.

De maneira ética ou duvidosa, esse conceito sempre esteve presente quando você navegava pela internet. Porém, pode estar com os dias contados. Então, como será fazer campanhas nessa nova etapa digital? Quais serão as alternativas para que profissionais e empresas se mantenham no mercado? Como se adaptar às mudanças que já estão ocorrendo?

Continue conosco e descubra. Boa leitura!

Cookies: para que servem?

Cookies são pequenos códigos por meio dos quais os sites coletam informações dos usuários. Essas referências podem ser de nomes, endereços, tempo de navegação, preferências e outras. Dessa forma, as páginas da web podem monitorar o comportamento das pessoas enquanto navegam.

Quando esses dados são armazenados, os sites podem “prever” o que o usuário fará quando acessar novamente. Assim, conseguem deixar a página mais responsiva e rápida ao carregar. Isso, alinhado a outros fatores, gera muitos benefícios para as páginas.

As empresas que se utilizam de cookies, por exemplo, podem até melhorar seu posicionamento no Google. Outro benefício importante são as campanhas publicitárias que podem oferecer seus produtos de acordo com a preferência de cada pessoa.

Quando se trata de visibilidade online para as empresas, os esforços são grandes. Vale, inclusive, obter essas informações de sites de terceiros. Isso mesmo! Muitas vezes, quando você navega por uma página, outras podem estar monitorando seu comportamento.

Cookieless: o que acontece agora?

Com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) em vigor e o anúncio feito pelo Google sobre o fim dos cookies até 2024, as empresas se veem obrigadas a repensarem suas estratégias de SEO e seus meios de abordar internautas.

Você, que trabalha com marketing digital, terá que pensar em novas táticas para sair na frente. Afinal, a evolução nas formas de comunicação abrirá portas para um mercado muito mais competitivo. Esse ramo vai necessitar de profissionais mais bem preparados.

Muitas ferramentas de métricas, como o Semrush, também serão afetadas. As informações serão obtidas de formas mais inconstantes. Sem a padronização de comportamentos, as campanhas terão que ser mais elaboradas e menos invasivas.

Marketing: como se adaptar?

Assim como as últimas atualizações do Google, devemos pensar em marketing digital humanizado. As agências já estão se adaptando às mudanças e, com certeza, serão ótimas fontes de informação para se ter como base.

O e-mail marketing e as newsletters, que já têm grande relevância, poderão ser excelentes alternativas para atrair clientes. Outra estratégia é investir em materiais ricos, como e-books e vídeos, que gerem de fato valor para o público. Isso pode gerar uma boa autoridade para a marca, sem precisar roubar os dados dos clientes.

Com base no que vimos, são novos tempos para o marketing digital. No universo cookieless, você será responsável por campanhas mais elaboradas, pensando na individualidade de cada internauta. Desse modo, haverá competição com mais qualidade e profissionais com mais preparo para apresentar suas ofertas ao público. Da mesma forma que já se fala em web 3.0, o marketing entrará numa nova fase, que exigirá de você ainda mais criatividade.

E você e sua equipe, estão se preparando para o novo cenário? Quer saber a opinião de outros profissionais da área? Então compartilhe este post nas redes sociais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *