Arquitetura de marca: veja a importância e como fazer!

Arquitetura de marca: veja a importância e como fazer!

A arquitetura da marca desempenha um papel estratégico na construção e gestão de uma empresa. Ela envolve a organização cuidadosa dos elementos que compõem a identidade de um negócio, desde a marca principal até suas submarcas e produtos. Continue a leitura deste artigo até o final para entender como ela funciona!

O que é e qual a importância da arquitetura de marca?

A arquitetura de marca refere-se à estrutura e organização dos diferentes elementos que compõem uma marca. Nesse momento, é levada em consideração a relação entre a marca principal e suas submarcas, produtos ou linhas de produtos.

A sua importância reside na forma como ela ajuda a gerenciar a complexidade e a diversidade dentro de uma empresa ou portfólio de produtos.

Quando bem definida, ela facilita a compreensão por parte dos consumidores, ajudando-os a entender como os diferentes produtos ou serviços estão relacionados entre si, melhorando a experiência do consumidor e promovendo a fidelidade à marca.

Quais os tipos de arquitetura de marca?

Conheça os principais tipos de arquitetura de marca.

Endossada

Na arquitetura endossada, a marca principal (muitas vezes chamada de “marca guarda-chuva”) é fortemente associada a todas as submarcas ou produtos.

As submarcas geralmente compartilham o nome da marca principal, e a reputação e os valores da marca principal são “endossados” ou transmitidos para os produtos individuais.

Um exemplo famoso de arquitetura endossada é a marca Nestlé. A empresa usa sua marca principal para diversos produtos, como Kit Kat, Nescafé e Nestea, associando a reputação da Nestlé a todas as suas linhas de produtos.

Monolítica

Na arquitetura monolítica, uma única marca é usada para todos os produtos e serviços oferecidos pela empresa. Não há submarcas distintas e a identidade da empresa é fortemente centralizada sob uma única marca.

Um exemplo é o Google, que utiliza sua marca para uma variedade de produtos e serviços, como Google Search, Google Maps, Google Drive, entre outros.

Independente

A arquitetura independente, por sua vez, envolve a criação de marcas separadas e distintas para cada produto ou linha de produtos. Cada marca opera de forma independente, sem uma conexão evidente entre elas.

Um exemplo de arquitetura independente é a Procter & Gamble (P&G), que conta com marcas como Gillette, Pampers e Tide. Cada uma dessas marcas tem sua própria identidade, sem depender da reputação da P&G como empresa-mãe.

Como fazer a arquitetura de marca?

Na hora de fazer a arquitetura de marca da sua empresa, coloque em prática estas dicas.

Pesquisa

Antes de desenvolver uma arquitetura de marca, é crucial realizar uma pesquisa abrangente, a fim de entender o mercado, o público-alvo, a concorrência e a percepção existente da marca. 

Pesquisas de mercado, análises de tendências e feedback dos clientes são ferramentas valiosas nessa fase.

Além disso, é necessário identificar as associações desejadas que a marca deve ter na mente dos consumidores e, com isso, compreender a inter-relação entre diferentes produtos ou serviços são elementos fundamentais da pesquisa.

Estratégia

Com base nos insights da pesquisa, é hora de desenvolver uma estratégia sólida para a arquitetura de marca, definindo o tipo de arquitetura a ser adotado (endossada, monolítica, independente) com base nos objetivos da empresa e nas características do portfólio de produtos.

Definir claramente o papel de cada submarca, produto ou linha de produtos é crucial. Além do mais, é importante estabelecer diretrizes para a comunicação da marca, como tom de voz, mensagens-chave e elementos visuais. Isso é essencial para manter a consistência.

Migração

Se houver uma mudança significativa na arquitetura de marca, pode ser necessário migrar ou transacionar de uma estrutura para outra. Isso envolve a renomeação de produtos, a atualização de identidades visuais e a comunicação clara aos consumidores sobre as mudanças.

Durante a migração, é fundamental gerenciar a transição de forma a minimizar confusões e, ao mesmo tempo, garantir que a nova arquitetura seja adotada de maneira suave e positiva.

Note que a arquitetura de marca não é algo estático, ou seja, ela evolui à medida que a empresa cresce, novos produtos são lançados ou as condições de mercado mudam. A revisão periódica da estratégia de marca é essencial para garantir que ela permaneça alinhada com os objetivos da empresa e as expectativas do consumidor.

Ficou com alguma dúvida? Deixe tudo nos comentários! Somos uma agência com endereços no RJ e SP, onde atendemos clientes de todos os portes e necessidades de divulgação. Venha conosco!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *